Como explorar o máximo das gôndolas no pet shop

Como explorar o máximo das gôndolas no pet shop

Os produtos e materiais expostos nas gôndolas no pet shop fazem toda a diferença para proporcionar ao consumidor uma boa experiência de compra. Por isso, preparar e organizar o ambiente é uma ótima oportunidade para fidelizar e encantar os seus clientes.

Nesse cenário, um conceito muito utilizado é o share de gôndola, ou seja, o espaço que uma loja tem à disposição para demonstrar os produtos — seja para vender esse espaço para um fornecedor ou até mesmo para você organizar os materiais do pet shop.

Vamos conferir mais informações importantes sobre esse assunto e avaliar como explorar o máximo das gôndolas no pet shop? Continue a leitura!

Organize toda a estrutura do pet shop

A aparência visual do pet shop importa muito na hora do consumidor formar uma opinião a respeito da sua empresa. Por isso, a primeira dica é manter sempre toda a estrutura do seu pet shop bem organizada.

O ambiente precisa estar limpo, cheiroso e com pouca poluição visual. Utilize a exposição dos produtos e materiais de uma forma estratégica, jamais deixando o consumidor confuso por querer expor muitas informações visuais.

Tenha atenção com a vitrine

Outro aspecto que ajuda a vender mais é atualizar a vitrine semanalmente. Faça um rodízio de produtos apresentando os diversos materiais e promoções. Uma ideia interessante é trabalhar com as datas comemorativas e enfeitar a sua vitrine com elementos que fazem alusão à data.

Por exemplo, no Natal, que tal expor cachorrinhos de pelúcia e até mesmo fotografias de animais fofos vestidos com roupas natalinas? Enfim, essa é apenas uma (de milhares) de ideias que você pode explorar.

Vale ressaltar que é essencial manter a vitrine interessante e estratégica para captar clientes e fazê-los entrar na sua loja. Assim, quando eles param na frente do seu pet shop porque algo chamou a atenção, certamente, a vitrine pode fazê-lo decidir se eles vão (ou não) entrar.

Tenha bons mostruários de produtos

Não adianta oferecer ao cliente um mostruário com produtos faltando, sem etiquetas ou até mesmo sujos. O mostruário é um dos fatores determinantes para mostrar se o cliente precisa (ou não) daquela solução.

Dessa forma, os produtos precisam estar organizados no ponto de venda (PDV) de uma maneira que o share de gôndola explore o máximo potencial daquele espaço.

Os produtos precisam estar alinhados, limpos, organizados, precificados e ainda, se possível, com uma amostra para o cliente provar (no caso de shampoos, perfumes e até mesmo brinquedos).

Quando o cliente toca no produto, consegue perceber a textura e avaliar se aquela é a melhor solução para o seu melhor amigo. Por exemplo, o cliente gostou de um brinquedo, no entanto, tem um Pastor Alemão. Provavelmente, ele só decidirá se o produto é bom para ele se puder tocar no brinquedo para conferir a resistência, não é mesmo?

Tenha espaços livres para a circulação de pessoas e animais

As áreas em que as pessoas precisam circular dentro do seu pet shop devem estar livres e longe de obstáculos. Por isso, por mais que você queira expor todos os produtos nas gôndolas, organize-os com muita moderação.

Afinal, se você dificultar a passagem de pessoas querendo explorar todos os pontos (inclusive os negativos), certamente, o seu cliente ficará frustrado por não conseguir se locomover direito dentro do pet shop. Você ainda corre o risco de ele se tornar um cliente detrator e sair falando mal do estabelecimento.

Cuide muito bem da ruptura

A ruptura é considerada um dos principais vilões de todas as lojas. Trata-se de um conceito para explicar a perda de oportunidades do pet shop, muito comum quando há depósitos mal organizados ou quando não há uma pessoa responsável pela reposição e reabastecimento das prateleiras.

Afinal, se o seu consumidor vai até o pet shop procurando por um sabonete sarnicida, se ele não encontrar o que procurava, certamente, ficará insatisfeito. Além disso, a ruptura considera também quando há um planejamento ruim sobre a reposição dos materiais da sua loja ou quando faltam produtos no estoque.

Meça todos os espaços disponíveis

Para ter a certeza de ter um ambiente agradável e que expõe os principais produtos aos clientes é preciso medir todos os espaços disponíveis dentro do seu pet shop.

Somente assim, você avalia a capacidade real e pode elaborar um layout incrível que exponha o melhor da sua loja. Depois, basta dividir os produtos por categorias e expor na sua loja.

Saiba identificar as oportunidades que surgirem

Por mais que existam alguns insights sobre a posição dos produtos nas gôndolas, não há uma “receita de bolo”. Por isso, o mais importante é realizar testes e avaliar sempre os indicadores de vendas.

Avalie qual é o comportamento do consumidor dentro do pet shop:

  • ele encontrou com facilidade o que procurava?
  • ele deu alguma sugestão de novos produtos?
  • qual foi a experiência de compra dentro da loja?
  • ele deu uma volta e foi embora sem comprar nada? Por quê?
  • ele teve alguma dificuldade dentro do pet shop?
  • qual foi o fluxo de clientes x número de vendas no mês?

Essas questões ajudam a refletir sobre o posicionamento dos produtos nas gôndolas no pet shop. Por isso, faça testes: tente expor de uma maneira em um mês e no outro faça totalmente diferente. Acompanhe os indicadores e veja quais são as melhores opções para o seu negócio.

Saber como explorar o máximo das gôndolas no pet shop é uma ótima oportunidade para vender mais, atrair mais clientes e ainda fidelizar os consumidores. Por isso, conferir algumas dicas é sempre interessante para trazer ideias para a sua clínica veterinária.

Neste post, você aprendeu como explorar o máximo das gôndolas do pet shop. Você gostou do nosso conteúdo? Então, aproveite para conferir também algumas dicas de vendas para pet shop. Boa leitura!

Deixe uma resposta

Fechar Menu