Como controlar o estoque do pet shop?

Como controlar o estoque do pet shop?

Aprenda a controlar o estoque do pet shop e melhore a saúde financeira da sua empresa.

Não é difícil comprar itens além do que precisamos quando vamos, por exemplo, ao supermercado. O que normalmente acontece? Estocamos os produtos no armário e não os utilizamos dentro da validade. Por fim, é necessário descartá-los, e então percebemos que o nosso dinheiro sofreu o mesmo destino. A título de comparação, o mesmo pode ocorrer no estoque do pet shop quando há ausência de um controle estratégico.

Mas como realizar a gestão correta de reserva de produtos? Quais são as vantagens desse processo? O que acontece quando não há o controle adequado? Acompanhe nosso artigo e descubra como controlar o estoque do pet shop!

Por que é importante controlar o estoque do pet shop?

No mundo dos negócios fala-se muito sobre estratégias para aumentar lucros. Porém, é impossível atingir esse objetivo sem um gerenciamento do estoque do pet shop. Podemos compará-lo ao combustível que mantém um meio de transporte em movimento.

Sendo assim, existem vários aspectos fundamentais da empresa que são impulsionados pelo controle de estocagem. Entre eles, podemos citar o atendimento das demandas de forma constante, mesmo quando existe a sazonalidade (aumento ou diminuição de lucros) nos produtos.

Além disso, a ausência de reserva impacta na fluidez das atividades do pet shop, pois a indisponibilidade de estoque gera a redução de serviços e o resultante prejuízo financeiro. Outro fator negativo é a má utilização do capital de giro, uma vez que produtos estocados significam dinheiro parado que poderia ser investido em outros setores.

Por outro lado, a gestão estratégica permite tomar decisões importantes com segurança e rapidez. Como exemplo, digamos que o pet shop precise aumentar os seus lucros em pouco tempo. Para isso, a equipe interna decide fazer promoções para atrair mais clientes. Essa meta só será alcançada se o estoque “responder” favoravelmente às estratégias elaboradas.

De acordo com a revista Exame, o descontrole da estocagem é, infelizmente, comum entre as empresas e resulta na falência de muitas delas. Para evitar isso, o correto a se fazer é disponibilizar o produto certo, na quantidade necessária e no local exato. Eis a receita para o sucesso do controle de estoque do pet shop!

Como fazer essa gestão com eficiência?

A primeira atitude a ser tomada para gerenciar a reserva do estoque do pet shop é a conscientização da importância desse processo. Essa mentalidade precisa fazer parte da política estrutural do negócio e compartilhada por toda a equipe, a começar pelo gestor. Mas como realizar essa demanda? Vejamos a seguir.

Controle as entradas e saídas

Uma das ações primárias e básicas é elaborar uma planilha para o registro das movimentações do estoque do pet shop. Dessa forma, cria-se um panorama da situação real dos produtos em reserva. Não é preciso fazer uma planilha muito complicada, pelo contrário, insira apenas os dados mais importantes. Por exemplo:

  • entradas;
  • saídas;
  • descrição do item;
  • código do produto;
  • quantidade de unidades;
  • custo por item;
  • unidade de medida;
  • especificação de datas (dia, mês e ano);
  • nome e contato do fornecedor.

Vamos esclarecer um detalhe: o campo “saída” não se restringe somente às vendas realizadas, mas também às perdas ocasionadas por produtos vencidos, deteriorados ou furtados.

Calcule o estoque mínimo e o máximo

Uma prática eficiente é a construção de um estoque mínimo e máximo. No primeiro caso, esse armazenamento é conhecido também como reserva de segurança, pois significa ter à disposição uma quantidade extra de produtos para imprevistos. Sendo assim, na hipótese de um aumento repentino de demanda ou atrasos dos fornecedores na entrega dos pedidos, o pet shop não terá os seus serviços interrompidos.

Para definir o volume adequado, se utilizam duas fórmulas:

  • estoque mínimo = consumo médio por dia x período de reposição;
  • consumo médio diário = saída de mercadorias em um determinado período ÷ dias relativos a esse período.

Imagine a seguinte situação: um pet shop vendeu, em um mês, 120 unidades de produtos para higiene animal. Em vista disso, o seu consumo médio diário é de 4 unidades, certo? Coloquemos como 15 dias o tempo para reposição dessa mercadoria e chegaremos ao estoque mínimo ideal de 60 unidades, ou seja, 15 x 4 = 60.

Alguns preferem sobrepor uma margem de segurança sobre o estoque mínimo, para isso, estipulam uma porcentagem. Por exemplo, na hipótese de 15%, a armazenagem sobe de 60 para 69 unidades.

Enquanto esse processo evita a ruptura da reserva, o estoque máximo impede compras desnecessárias que trazem o desperdício e prejuízos financeiros. Existe também um cálculo para isso:

  • estoque máximo = estoque mínimo + lote para reposição.

Voltemos ao exemplo já citado: o gestor decidiu que além do mínimo estoque do pet shop, seriam compradas 45 unidades para reposição. Dessa forma, a conta é 60 + 45 = 105. Pronto! Já temos o estoque máximo do negócio.

Faça um balancete

O balancete ou inventário do estoque visa garantir a organização e identificar problemas que precisam ser corrigidos. Em resumo, realiza-se uma contagem dos produtos armazenados. Para isso, é necessário um agendamento periódico do dia, horário e a definição de quem prestará esse serviço.

A organização dos produtos é uma prática que facilita o trabalho e evita o retrabalho. Uma técnica muito utilizada no mercado chama-se PEPS (primeiro a entrar, primeiro a sair). Funciona assim: os produtos que têm um prazo de validade menor ou apresentam um giro maior são posicionados em prateleiras mais próximas da saída do estoque.

Em seguida, começa a contagem. O melhor método para otimizar esse serviço é o cálculo por lotes ou com base no tipo de item, peso, tamanho, quantidade, etc. Para isso, os produtos já devem estar identificados com etiquetas ou códigos de barra. Na primeira opção, há a possibilidade de usar a tecnologia Radio Frequency Identification (RFID), que permite a leitura das etiquetas por meio de um equipamento virtual.

A última etapa do inventário é o cruzamento dos dados para a tomada de decisões. Uma metodologia que confere mais eficiência para esse procedimento é a curva ABC. Para utilizá-la, as mercadorias são divididas em três grupos:

  • os produtos com alto valor e consumo integram o grupo A;
  • os itens com valor e demandas intermediárias ficam no B;
  • no C permanecem os com preço e procura baixa.
Use a tecnologia

A automação mostra-se como uma ótima alternativa para otimizar e precisar o controle do estoque do pet shop. Atualmente, existem aplicações virtuais que:

  • dão baixa em um produto armazenado assim que é vendido;
  • lançam itens no inventário;
  • notificam quando um produto atinge o estoque mínimo;
  • fazem automaticamente o balancete;
  • emitem relatórios sobre a gestão da reserva;
  • geram a nota fiscal eletrônica.

Em vista desses benefícios, muitos pet shops implantaram essa tecnologia e conseguiram fazer um controle de estoque eficiente. Sendo assim, o mais importante é nunca esquecer de que esse processo pode elevar os lucros do seu negócio. Por isso, precisa ser levado muito a sério!

O que achou de nosso artigo? Conseguiu entender como controlar o estoque do pet shop? Quer aumentar os resultados financeiros da sua empresa? Então, invista na gestão de clínica veterinária e conheça 5 áreas que você precisa ficar de olho.

Deixe uma resposta

Fechar Menu