Como lidar com cães agressivos no banho e tosa

Como lidar com cães agressivos no banho e tosa

Lidar com cães agressivos ou ansiosos na hora do banho e tosa é um constante desafio para todos os pet shops. Afinal, saber como lidar com essa situação tensa e desagradável é sinônimo de ter sucesso no banho e ainda fidelizar clientes.

A agressividade pode acontecer por diversos fatores, tais como: excesso de mimos, não estar acostumado com essa rotina, trauma, personalidade e outros. Por isso, esse assunto precisa ser muito bem trabalhado nas clínicas, afinal, é a integridade física do esteticista e do veterinário que está em jogo, certo?

Você também tem dúvidas sobre esse assunto? Então, confira algumas dicas que podem ajudar a lidar com cães agressivos! Vamos lá?

Atenda somente com agendamento prévio

Uma das alternativas para saber como lidar com cães agressivos no banho e tosa é ter um bom sistema de agendamento no seu pet shop.

Durante a marcação, faça perguntas ao tutor para identificar se o cão é bravo. Caso positivo, é muito importante ressaltar que será utilizado equipamentos de segurança — existem alguns donos de animais que não gostam disso porque pensam que pode “machucar” ou “traumatizar” o pet.

Também é importante informar o horário que ele deve deixar e o momento exato que ele precisa buscar o cachorro. Afinal, não é recomendado que o cachorro fique muito tempo esperando para ser atendido (isso gera mais estresse), tampouco, ficar sozinho esperando ansiosamente pelo seu tutor buscá-lo.

Não abra mão dos equipamentos de segurança

Os equipamentos de segurança são a garantia de que ninguém se machucará durante o processo de banho e tosa. Materiais como a guia de mesa e banheira devem ser colocados, no entanto, somente no momento da execução do trabalho — é arriscado colocar a guia e deixar o cachorro esperando sozinho.

Além disso, é fundamental ter um ambiente aconchegante, tranquilo, agradável e organizado. Se o cão sentir a desorganização (você procurando onde está o shampoo, a tesoura e outros materiais), certamente, ficará desconfiado e mais ansioso. Portanto, mantenha o local sempre limpo e agradável, assim, o cão fica mais tranquilo e menos agitado.

Não deixe o tutor na sala de banho e tosa durante o trabalho

Peça para o tutor dar uma caminhada na quadra ou sair da sala durante o banho e tosa. Isso porque, os cachorros costumam ficar agitados na presença dos seus donos e isso dificulta ainda mais a execução do trabalho.

Além disso, é importante repassar ao tutor tranquilidade, responsabilidade e qualidade dos serviços. Afinal, os procedimentos estéticos exigem confiança, sendo assim, explique exatamente um passo a passo de tudo o que vai acontecer durante a sua ausência — dessa forma, ele também fica mais tranquilo.

Estimule pacotes semanais de banho e tosa

Se o cachorro é agressivo, ele jamais vai se acostumar com o banho e a tosa se o tutor buscar esse tipo de serviço somente uma vez por ano. Por isso, é importante estimular a compra de pacotes (ofereça algum desconto, programa de fidelidade ou outras ações interessantes para incentivar essa prática).

Se o cachorro tiver uma frequência semanal de banho e tosa, certamente, vai começar a se acostumar com aquela rotina e ficará menos estressado com o passar do tempo. Assim, cria um hábito no animal que pode evitar problemas ou acidentes.

Estimule o banho e tosa quando pequenos

Sabe aqueles bebês que começam a ir ao pet shop para tomar as suas vacinas? É importante, desde já, que o veterinário explique a importância de criar uma rotina de banho e tosa — de preferência, antes dos seis meses.

Além disso, é importante conversar sobre a importância de não repassar nenhuma fraqueza para ele (mesmo nos momentos de tomar uma injeção). Afinal, o cão sente quando o seu tutor está em uma situação desconfortável.

Oriente os tutores a lidar com cães agressivos no banho e tosa

Se o cão já está totalmente traumatizado com o banho e tosa o tutor pode fazer algumas técnicas para tentar reverter esse quadro. Sendo assim, é importante dar essas dicas ao cliente para que ele comece a criar mais segurança para o animal.

Por exemplo, ele pode começar a passear com o animal perto do pet shop para o cão se familiarizar com o ambiente. Depois que o cachorro estiver acostumado com o caminho, eles podem entrar no pet shop sem fazer nenhum procedimento. Nesse aspecto, é importante a equipe de trabalho oferecer recompensas e começar a fazer amizade com o cão.

Esse trabalho em conjunto vai, aos poucos, fazendo com que o cachorro pegue confiança nos profissionais da clínica. Como consequência, será muito mais fácil lidar com o seu comportamento na hora do banho e da tosa.

No entanto, é importante ressaltar que é um processo demorado e trabalhoso, no entanto, vale a pena a dedicação.

Tenha uma boa recepção para lidar com cães agressivos

Sabia que a recepção faz toda a diferença quando o assunto é comportamento animal? É isso mesmo! Receber o cachorro de uma maneira tranquila, em um ambiente limpo e agradável é essencial para ele fazer o reconhecimento do local.

É preciso respeitar o seu momento, deixar que ele explore o ambiente e se sinta seguro até se acalmar. Por isso, a sua equipe precisa estar muito bem preparada para atender ao cliente e o pet da melhor maneira possível para evitar estresses e turbulências desnecessárias.

Saber lidar com cães agressivos é um constante desafio nos pet shops. Ter atenção com esse assunto é fundamental porque é a saúde da equipe de trabalho (e também do animal) que está em risco. Sendo assim, estudar sobre essa temática é importante para ter ideias interessantes para implementar na sua clínica.

Neste post, você aprendeu como lidar com cães agressivos durante o banho e tosa. Você gostou deste conteúdo? Então, temos a certeza que você vai gostar de aprender mais sobre como evitar acidentes no pet shop. Boa leitura!

Deixe uma resposta

Fechar Menu