Recomendações para atendimento veterinário durante a pandemia

Recomendações para atendimento veterinário durante a pandemia

Estamos vivenciando um período bem complicado no mundo inteiro: a pandemia do coronavírus. Por isso, é preciso investir em medidas protetivas para evitar a proliferação dessa doença. Mas, como fica essa questão para os empreendedores e, inclusive, para o atendimento veterinário?

Muitos negócios foram (e ainda estão sendo) afetados diretamente com essa crise. Afinal, a quarentena pegou todos desprevenidos. Para que os negócios continuassem fluindo foi preciso se reinventar.

Sendo assim, vamos conferir quais são as recomendações para o atendimento veterinário, para que a crise não tenha tanto um impacto tão negativo nos negócios? Continue a leitura e saiba mais!

Veja quais são as principais recomendações para atendimento veterinário

A pandemia do novo coronavírus fez com que os governos estaduais fechassem o comércio para evitar a disseminação do COVID-19. No entanto, para as clínicas e hospitais veterinários isso é diferente: o Conselho Federal de Medicina Veterinária recomenda manter aberto os estabelecimentos. Afinal, os animais podem precisar de atendimentos de urgência.

Portanto, as clínicas e os hospitais veterinários puderam manter o seu funcionamento, mas foi necessário seguir as orientações divulgadas e readequar os atendimentos para evitar o contágio.

As agropecuárias e os pet shops também entram nessas regras, afinal, eles têm itens básicos para a assistência e a saúde dos animais (alimentação e outros insumos de nutrição, farmacêuticos e outros).

É recomendado que todas as clínicas, hospitais veterinários e pet shops mantenham o estoque que tinham antes da crise. Isso evita que os clientes se desloquem até o estabelecimento com a certeza de encontrar o produto que precisa, mas não o encontre.

Vale ressaltar que os decretos variam de acordo com região, por isso, é sempre necessário conferir as normas da sua cidade e se adequar às autoridades locais. Além disso, de acordo com o Código de Ética do Médico Veterinário, o atendimento à distância permanece proibido.

Confira algumas ideias para evitar a proliferação do vírus no seu estabelecimento

Existem algumas medidas preventivas que são importantes para manter a sua clínica e hospital veterinário seguros. Veja algumas dicas gerais:

  • tenha atenção com a higienização depois de cada atendimento;
  • oriente os colaboradores sobre a importância da higiene e ensine os procedimentos corretos para higienização pessoal e do ambiente também;
  • ofereça equipamentos de proteção (luvas, máscaras, álcool e outras ferramentas) para os colaboradores;
  • atenda somente com horário agendado previamente;
  • tenha um bom espaço entre uma consulta e outra para dar tempo de higienizar corretamente o ambiente;
  • restrinja o acompanhamento da consulta para apenas um tutor;
  • atenda uma pessoa por vez dentro do seu estabelecimento para evitar aglomeração de pessoas;
  • limite as visitações para os animais internados;
  • reprograme os procedimentos que não são de urgência;
  • limpe bem o mobiliário e os utensílios utilizados que tiveram contato direto com os animais e os tutores (cadeiras, mesas, bancadas, produtos e outros);
  • limpe os objetos com água sanitária ou amônia quaternária, além do álcool 70% para desinfetar os ambientes.

Também é preciso conferir na sua região se a parte estética de banho e tosa estão liberados. Caso sim, mantenha as orientações e as recomendações acima. Caso contrário, oriente os tutores (por meio de postagens nas redes sociais, newsletters e outros) sobre como fazer uma boa higienização no próprio domicílio.

Converse com seu time e reveja ações estratégicas

Nesse período, é fundamental ter empatia e, como citamos anteriormente, reformular o planejamento estratégico da sua clínica. Agora é o momento ideal para conversar com o time, entender quais são as suas preocupações, ouvir sugestões e ideias e manter uma comunicação humanizada e próxima do colaborador.

Afinal, certamente ele está preocupado se vai conseguir manter o emprego ou não (situação que está acontecendo em diversas empresas). Por isso, é sempre importante analisar o ambiente interno antes de investir em qualquer estratégia externa, com o seu cliente.

Alinhe com calma todas as questões importantes, tais como:

  • informe como ficará a questão dos salários, dos benefícios, dos horários e outros;
  • ofereça um treinamento sobre importância da higienização correta;
  • converse sobre qual será o posicionamento da sua clínica;
  • deixe claro sobre como ficará os atendimentos; e
  • tire todas as dúvidas do seu colaborador.

Lembre-se sempre de que o primeiro passo para promover um bom atendimento veterinário e sair de qualquer crise, é manter os colaboradores engajados e fiéis ao seu estabelecimento. Portanto, investir em uma boa comunicação com o público interno é essencial.

Saiba como aproveitar as redes sociais para educar o público

Depois que tudo estiver em ordem dentro da sua clínica, é preciso criar um bom plano de marketing para manter os seus clientes perto da sua marca.

Por isso, invista em diversos tipos de conteúdos (como textos, infográficos, imagens, podcasts, vídeos e outros) para educar o seu público. Crie um bom calendário de conteúdo diversificado. Veja alguns temas interessantes:

  • fale sobre as normas legais da sua região;
  • incentive o público a se cuidar para evitar a proliferação da doença;
  • mostre empatia citando dicas e cuidados essenciais;
  • dê ideias de brincadeiras para fazer com os pets nos momentos de quarentena;
  • divulgue como está sendo o serviço de atendimento veterinário durante a pandemia;
  • ensine alguns tutoriais sobre banho em casa;
  • divulgue o serviço de tele-entrega para rações e outros;
  • fale sobre os serviços essenciais da sua clínica que estão funcionando; e
  • divulgue as normas internas adotadas no período da pandemia.

Lembre-se de que as redes sociais são ótimas aliadas para manter o seu cliente engajado e conectado com a sua marca, mesmo nos momentos de pandemia.

Outro assunto importante para abordar nas redes sociais para evitar o abandono de animais é falar sobre algumas dúvidas que permeiam essa temática.

Por exemplo, se os animais de estimação podem pegar e passar o coronavírus. Nesse caso, é preciso deixar bem claro que a infecção causada neles ainda é muito pequena e que não há estudos científicos que comprovam que eles possam transmitir o vírus. Sendo assim, os tutores podem ficar tranquilos que não pegarão a doença com os seus animais.

E aí? Você gostou de aprender algumas ideias para manter o atendimento veterinário durante a pandemia? Se sim, aproveite para conhecer 6 facilidades da tecnologia no dia a dia!

Deixe uma resposta

Fechar Menu